Seguidores

6 de fevereiro de 2011

Suavidade



Suave é o suspiro 
em lânguida prostração...
Suave é o brilho
depois da paixão.
Suave é a voz
que se engana e diz não...
Suave é o encontro dos lábios,
e das mãos ao dividir a emoção... 

Suave é o delírio
em contrita oração...
Suave é o estribilho
durante a canção.
Suave somos nós
que fazemos de um não, sim.
Suave é o beijo de brisas
e dos lábios em comunhão.


(Jane Moreira e Gustavo Drummond)

Um comentário:

  1. Boa poesia,
    desejo muito
    sucesso ao seu espaço Literário,
    Efigenia Coutinho

    ResponderExcluir